Curso Reabilitação Perineal Ativa e Passiva

€0,00
CRP001
Only 0 units of this product remain

PRÓXIMAS TURMAS

AGOSTO:

COIMBRA, Informações em breve.

WORKSHOP 2020: Introdução ao Protocolo Reabilitação Perineal Ativa.

Dia 15 de agsoto das 09 ás 12 Horário de Brasilia, inscrições: https://www.sympla.com.br/introducao-ao-protocolo-reabilitacao-perineal-ativa__911928

SETEMBRO:

SUÍÇA de 18 a 20 de setembro Lutry-Port Suíça, link para inscrição: http://start.physio/en/vaud/lutry-port/

PORTO, Portugal de 25 a 27 de setembro, inscrições: https://www.bwizer.com/pt/formacoes/rpa_p_reabilitacao_perineal_ativa_passiva_set_2020_-_porto-10531_005.html

NOVEMBRO:

LISBOA, Portugal de 20 a 22 inscrições: https://www.bwizer.com/pt/formacoes/rpa_p_reabilitacao_perineal_ativa_passiva_nov_2020_-_lisboa-10531_006.html

FEVEREIRO 2021 Madrid Espanha. Informações em breve

Este é um curso completo onde são abordadas todas as disfunções perineais (nos homens e nas mulheres) e os fisioterapeutas aprenderão a trabalhar como protocolo Reabilitação Perineal Ativa que visa a reabilitação global dos músculos do pavimento pélvico.

O protocolo (RPA) foi desenvolvido pela fisioterapeuta Laira Ramos, sendo o primeiro, e até agora único, protocolo descrito na literatura que visa a reabilitação global dos músculos do pavimento pélvico e onde os exercícios evoluem gradativamente em todas as sessões. Seus resultados científicos foram verificados na tese de doutorado da Fisioterapeuta Laira Ramos, no Departamento de Ginecologia da Escola Paulista de Medicina, UNIFESP.

Outra diferença no tratamento com o RPA é que ele utiliza mais de uma técnica: cinesioterapia com biofeedback, eletroestimulação, cones vaginais e exercícios em casa. A maioria dos tratamentos descritos na literatura se limita ao uso de uma única técnica. Através da conscientização muscular, da contração, do relaxamento e do alongamento procuramos reestabelecer todas as características dos músculos do pavimento pélvico: potência, resistência, automatismo, reflexo, flexibilidade.

Os músculos do pavimento pélvico trabalham em sinergia, isto é, todos estes músculos contraem e relaxam em conjunto quando solicitados, sem movimento isolado. Sendo assim o tratamento das disfunções do pavimento pélvico deve ser baseado na reabilitação global desses músculos, e não no tratamento isolado de cada patologia, pois um grupo muscular, quando reabilitado, deve ser capaz de exercer todas as suas funções.

Nesse curso o aluno terá toda a base necessária para a reabilitação funcional neuromuscular do pavimento pélvico das mulheres e dos homens, sendo capazes de tratar suas principais disfunções: incontinência urinária, incontinência anal, retenção urinária, obstipação, prolapsos dos órgãos pélvicos, disfunções sexuais. Os fisioterapeutas que já atuam na área podem se beneficiar com este curso, pois terão contato com uma abordagem nova e única no tratamento dessas disfunções.

O protocolo está descrito no livro Reabilitação Perineal Ativa, disponível para free download aqui no site na opção material gratuito do menu inicial. A fisioterapeuta Laira Ramos detém a propriedade intelectual desse protocolo e somente os fisioterapeutas formados nesse curso estão aptos a o utilizarem.

Ao contrário das técnicas ativas, que visam uma reabilitação neuromuscular global, as técnicas passivas são utilizadas para alcançar objetivos específicos: alongamento dos músculos do pavimento pélvico, tratamento de cicatrizes e fibroses, dessensibilização de pontos de dor e tensão, a utilização de órteses na uroginecologia, aumento da irrigação sanguínea.

Para a promoção do alongamento muscular utilizamos a massagem perineal, que é uma técnica manual; e do dispositivo de alongamento, um instrumento desenvolvido especificamente com este objetivo. Geralmente são utilizados para preparar a mulher que quer o parto vaginal (evitando a episiotomia), nas algias pélvicas e em alguns casos de dispareunias.
A episiotomia, laceração, cesariana ou outras cirurgias pélvicas deixam cicatrizes que podem ser causas de dor e desconforto; a massagem cicatricial e os instrumentos de dessensibilização cutânea são muito importantes nesses casos. Estes instrumentos de dessensibilização cutânea também podem ser utilizados nos casos de hipersensibilidade dérmica, como na vulvodínea.
Nas técnicas inibitórias da eletroestimulação utilizamos o TENS para aliviar as dores menstruais, dores das contrações do trabalho de parto e nas dores pélvicas. A neuromodulação é indicada nos casos de bexiga hiperativa ou hipoativa.
Os pessários são uma espécie de órtese que podem ser uma opção para o tratamento dos prolapsos dos órgãos pélvicos, principalmente para aquelas pacientes que, por outras afecções, não podem se submeter à cirurgia. Também há outros materiais podem ser indicados no tratamento coadjuvante da incontinência urinária.
Os dilatadores vaginais são indicados para as pacientes com vaginismo e nas neo-vaginas. Nesse curso veremos como abordar a paciente vagínica, conquistando sua confiança para realizarmos o tratamento.
As bombas de vácuo são um instrumento importante para o aumento da circulação sanguíneo melhorando a ereção, do pênis ou do clitóris.
Formadora: Fisioterapeuta Laira Ramos
Duração: 27h
Público: Fisioterapeutas graduados ou cursando o último ano
Nº máximo de alunos: 25
Objetivo: Capacitar os fisioterapeutas para avaliar, decidir o melhor tratamento e tratar as disfunções do pavimento pélvico, visando a reabilitação funcional neuromuscular
Proposta financeira: 60% do valor de cada inscrição + despesas de viagem, hospedagem e alimentação
Programa:
• Anatomia da pelve, aula dinâmica e interativa com a utilização de vários modelos anatômico
• Neurofisiologia muscular com enfoque na funcionalidade, programação de movimento, movimentos automáticos e resposta reflexa
• Biomecânica da pelve associada às atividades de vida diária e atividades específicas que aumentam a pressão intra-abdominal
• Funções do períneo e sua relação com as diversas fases da vida da mulher e do homem
• Fisiologia da micção e como identificar uma disfunção
• Fisiologia da defecação e como identificar uma disfunção
• Fisiologia da sexualidade e como identificar uma disfunção
• Disfunções perineais nas mulheres e nos homens
• Qualidade de vida e as disfunções perineais

• Descrição das técnicas utilizadas no protocolo RPA (cinesioterapia, biofeedback por pressão, biofeedback por eletromiografia, eletroterapia, cones vaginais, bola de ben-wa, reeducador)
• Objetivos da reabilitação perineal visando uma reabilitação neuromuscular funcional global
• Anamnese completa para a uroginecologia e a utilização do prontuário eletrônico RPA
• Exame físico: técnicas internas e externas
• A utilização do protocolo RPA
o 1ª fase do protocolo RPA
o 2ª fase do protocolo
o 3ª fase do protocolo
• Como associar o RPA com as técnicas já utilizadas nos tratamentos das disfunções perineais
• Quando podemos fazer os tratamentos em grupo
• Fundamentos teóricos e práticos da utilização clínica do epi-no
• Fundamentos teóricos e práticos da utilização clínica da massagem perineal
• Fundamentos teóricos e práticos da utilização clínica da massagem cicatricial
• Fundamentos teóricos e práticos da utilização clínica dos dilatadores vaginais
• Fundamentos teóricos e práticos da utilização clínica dos pessários
• Fundamentos teóricos e práticos da utilização clínica técnicas inibitórias da eletroestimulação
• Mobilização pélvica
• Como dar seguimento ao tratamento e manter os resultados conquistados
• Como começar: que materiais comprar, como montar sua sala, como fazer publicidade
• Discussão de casos clínicos
• Avaliação dos alunos
Materiais:
• Luvas descartáveis
• Preservativo sem lubrificante
• Gel lubrificante
• Sonda vaginal (a formadora fornece sondas esterilizadas)
• Eletrodos de superfície (responsabilidade da formadora)
• Kit de cones vaginais (responsabilidade da formadora)
• Equipamento de eletroestimulação e eletromiografia (responsabilidade da formadora)

You might also be interested in

Subscribe to our email list to receive news and offers first.